EM BUSCA DA 4.ª VITÓRIA NA ESTREIA DE FERNANDO VALENTE

Por em 8 de Dezembro de 2018

Em jogo que marca a estreia de Fernando Valente no comando técnico do Varzim Sport Club, os poveiros jogam amanhã, pelas 15 horas, no terreno do Futebol Clube de Arouca, numa partida pertencente à 11.ª jornada da LEDMAN LigaPro.

Na sequência de duas semanas de paragem, desejava-se que a recente caminhada do Varzim fosse mudar de rumo, no entanto os alvinegros voltaram a perder pontos, tendo empatado a zero, em casa, frente ao Académico de Viseu. Com este empate, mantiveram-se no 12.º posto, com 12 pontos (3 V, 3 E, 5 D, 10 GM e 13 GS), em igualdade pontual com o 11.º classificado, UD Oliveirense. O resultado ditou a saída de Nuno Capucho, naquela que foi a segunda vez que tomou conta da equipa varzinista.

Por sua vez, o Arouca, orientado por Quim Machado, está a surpreender pela negativa, encontrando-se em zona de despromoção, mais propriamente na 17.ª e penúltima posição, com 10 pontos acumulados, os mesmos do Braga B e Vitória SC B (15.º e 16.º classificados, respetivamente). De referir ainda que na última jornada os arouquenses foram derrotados em Coimbra, por 2-0. Nas outras duas competições, chegaram até à quarta eliminatória da Taça de Portugal Placard e à segunda fase da Allianz Cup.

Na cidade de Arouca apenas existiram três confrontos entre ambas as formações, sendo que os resultados foram completamente repartidos (uma vitória para cada lado e um empate). Em termos de golos marcados, os visitados levam a melhor (7 vs 5). De recordar que em 2017/2018, o triunfo foi dos “Lobos do Mar”, por 1-2, no dia 25/02/2018.

Do lado do Arouca há que referir uma curiosidade, relacionada com o facto de Quim Machado, Rui Vieira (foi reforço em 2012/2013, todavia saiu dos poveiros cedo, sem sequer ter realizado um jogo oficial) e Malele terem passado no Varzim.

Para este jogo, Fernando Valente convocou os seguintes 18 jogadores:

Guarda-Redes: Emanuel Novo e Rafael Broetto.

Defesas: Mário Sérgio, Nélson Agra, Sandro, Silvério, Rui Coentrão e Amian.

Médios: Estrela, Baba Sow, Jonathan Toro, Pavlovski e João Amorim.

Avançados: Ruan Teles, Ruster, Haman, Stanley e Júlio Alves.

Comparativamente com o jogo face ao Académico de Viseu saem o defesa-direito, Payne e os extremos Bakaramoko e Chérif. Por outro lado, entra o defesa-central, Silvério, o extremo, Ruan Teles e o avançado, Haman. Continuam de fora o guarda-redes, Ismael Lekbab, os defesas-centrais, Jeferson e Eridson, os médios Maycon Canário e Nelsinho e o avançado, Michalis.

É habitual dizer-se que a dita “chicotada psicológica” tem efeitos imediatos e é isso mesmo que se deseja que aconteça, pois seria sinal que a nossa equipa, apoiada pelos seus sócios e simpatizantes, venceria o Arouca e regressava, de uma vez por todas, às vitórias (a quarta no campeonato), podendo chegar no máximo ao oitavo lugar, atualmente ocupado pelo Leixões. Apesar de ter começado a treinar o Varzim apenas na quarta-feira, há a curiosidade de se saber quais as novidades na tática, forma de jogar, entre outros aspetos do modelo de jogo do novo timoneiro alvinegro. As equipas treinadas por Fernando Valente são conhecidas por praticar um bom futebol, atrativo (em 2013/2014, a equipa Aves chegou a ser considerada a formação a jogar melhor futebol na Segunda Liga), em posse, com boa troca de bola, utilizando maioritariamente o 4-4-2. O onze de amanhã também desperta a curiosidade, sendo que existe uma alteração certa, visto que o extremo, Chérif, não foi convocado. É urgente ganhar, dado que a distância para a zona de descida é muito curta (apenas dois pontos), bem como a equipa e os seus adeptos ganhariam um novo alento e motivação para o resto da temporada. Relativamente ao Arouca, estando em pior situação do que a dos poveiros, precisa de vencer para sair do lugar onde se encontra, sabendo de antemão que no máximo pode alcançar o 11.º lugar. Não obstante a atual classificação, os arouquenses, treinados por um bom treinador, experiente, têm uma equipa com qualidade, com uma mescla de experiência e juventude e que procuram que o fator casa seja uma “vitamina” para os ajudar a conquistar a vitória.

Força Varzim, rumo à vitória!

Texto: Duarte Cruz.

Imagem: FJG Neves.